domingo, 21 de março de 2021

Ministério da Saúde muda orientação e agora recomenda aplicação de todas as vacinas entregues a estados e municípios, sem reserva para segunda dose

 

O Ministério da Saúde anunciou, neste domingo (21), que mudou a orientação e passou a recomendar o uso da totalidade das vacinas armazenadas pelos estados para a segunda dose para utilização imediata.

A recomendação a estados e municípios vale também para os imunizantes que vêm sendo entregues neste final de semana – um total de 5 milhões de doses da vacina CoronaVac (Sinovac/Butantan) e de Oxford (AstraZeneca/Fiocruz).

A decisão do ministro Eduardo Pazuello levou em conta a previsão de entregas semanais do Butantan e da Fiocruz, que aceleraram a produção a partir da chegada de matéria-prima (IFA) importada.

No entanto, o Instituto Serum da Índia, responsável pelo licenciamento da vacina de Oxford, já comunicou aos governos do Brasil, Arábia Saudita e Marrocos sobre possíveis atrasos que novos abastecimentos de vacinas sofrerão nas próximas semanas. As alegações são atrasos em decorrência de um incêndio ocorrido na fábrica em janeiro e outros compromissos, como a necessidade de agilizar a distribuição interna no território indiano.

Nos bastidores, governadores e prefeitos ainda estão em dúvida se seguem a nova orientação do Ministério da Saúde, em razão da condução desastrosa da pasta na crise sanitária.

Os gestores estaduais e municipais temem aplicar em peso a primeira dose e depois ficarem sem a segunda dose, já que atrasos no calendário de entregas do Ministério da Saúde têm sido frequentes, com a distribuição de vacinas a passos lentos.

Informações Blog do Mário Flávio




Nenhum comentário:

Postar um comentário