quinta-feira, 6 de agosto de 2020

TSE estuda estender votação em ao menos 1h e reservar horário para idosos

 (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, afirmou nesta quinta-feira (6) que o horário de votação no dia das eleições deve ser estendido em pelo menos uma hora e que poderá ser reservado um horário especial para a votação de idosos com mais de 60 anos, considerados pertencentes ao grupo de risco para a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

"Muito possivelmente nós estenderemos em pelo menos uma hora, de 8h às 18h, e muito possivelmente nós reservaremos o primeiro horário para quem tem mais de 60 anos e são considerados grupo de risco", disse Barroso.

Segundo o presidente do TSE, as medidas deverão ser confirmadas ainda neste mês. A ideia é indicar que os eleitores com mais de 60 anos votem das 8h às 11h.

Segundo Barroso, o horário preferencial não será de natureza obrigatória, mas uma sugestão para melhor organizar o fluxo de eleitores ao longo do dia. "Nós ainda não batemos o martelo.

O que fizemos foi solicitarmos um estudo ao setor de estatística para calcularmos a saturação de cada uma das seções eleitorais no sentido de impedir a formação de filas e aglomerações", afirmou Barroso.
 
Tradicionalmente, o horário de votação vai das 8h às 17h. Mas, para reduzir a aglomeração de eleitores e evitar a formação de filas, a Justiça Eleitoral estuda prolongar a votação.

O TSE conta com a consultoria de estatísticos do Impa (Instituto de Matemática Pura e Aplicada) para definir qual a melhor proposta para estender o horário de votação com o objetivo de evitar aglomerações.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, as datas da eleição foram adiadas para 15 de novembro (primeiro turno) e 29 de novembro (segundo turno).

Outra medida já anunciada pelo TSE foi a exclusão nessas eleições da identificação dos eleitores por biometria. Por ser um processo mais demorado, foi avaliado que o recurso poderia aumentar as filas nos locais de votação.

Informações do Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário