terça-feira, 21 de maio de 2019

Recuperação de Estradas; Falta o governo dizer de onde virá o dinheiro

Resultado de imagem para paulo camara ontem
Com o Brasil à beira de uma nova recessão, o governador Paulo Câmara lançou ontem no Palácio do Campo das Princesas um programa de recuperação de estradas chamado “Caminhos de Pernambuco”. O programa, diz a secretária de Infraestrutura, Fernandha Batista (pra que esse “H”?), prevê investimento de R$ 505 milhões até 2022 e 2 mil km de rodovias recuperadas, totalizando 40% da malha estadual. O programa vem em muito boa hora, sabendo-se que a grande maioria das estradas estaduais está em frangalhos. No entanto, falta o Governo do Estado explicar aos pernambucanos de onde virá esse dinheiro. Do governo federal? Impossível, sabendo-se que o ministro Paulo Guedes cortou 100% de verbas orçamentárias de 140 projetos de 11 ministérios, entre eles o de revitalização das margens do rio São Francisco. 
De financiamento internacional? Igualmente improvável, mesmo porque empréstimo externo, quando autorizado pela União, não leva menos de dois anos para o início do desembolso. De dinheiro azul e branco? É menos provável ainda, sabendo-se que o orçamento do Governo do Estado para investimentos ao longo deste ano é inferior a R$ 400 milhões. Restaria a Cide como alternativa. Mas será que essa contribuição seria suficiente para legar ao Estado meio bilhão de reais até 2022? O projeto é bom, mas falta dizer de onde virar o dinheiro.
Por onde deveria começar
O programa estadual de revitalização de rodovias começou por onde deveria ter começado: a BR-232 no trecho Recife-Caruaru. A rodovia é do governo federal mas encontra-se sob cuidados do governo estadual. Embora o trabalho de capinação seja importante, o que ela está a reclamar é um novo recapeamento. Meia sola não resolve.
Informações Blog do Inaldo Sampaio   

Nenhum comentário:

Postar um comentário