sexta-feira, 31 de maio de 2019

Bruno Araújo é favorito para assumir presidência do PSDB Nacional

Resultado de imagem para bruno araújo
Após meses de espera, será realizada, hoje, em Brasília, a 15ª Convenção Nacional do PSDB. Entre os favoritos para ocupar o cargo da presidência está o ex-ministro das Cidades e ex-deputado federal Bruno Araújo. O pernambucano foi o único a se candidatar e por isso deverá substituir o então presidente, Geraldo Alckmin (PSDB). Na ocasião também será lançado o primeiro código de ética tucano.
"Hoje, em Brasília, será realizada a convenção nacional do PSDB na qual Bruno Araújo deve ser aclamado novo presidente do partido. É um grande líder e conta com nosso apoio. Boa sorte ao Bruno!", disse o deputado federal e presidente do PSDB do Paraná, Nilson Pinto, na sua conta pessoal do Twitter.
Bruno preside a seção pernambucana do PSDB e é único integrante fora de São Paulo, além de ser amigo mais próximo do governador João Doria, que estaria em plena campanha de construção de uma candidatura a presidente em 2022.

Informações JC Online

'Já chorei pra caramba', diz Bolsonaro sobre cinco meses de governo

Imagem relacionada
Cinco meses após ser empossado no cargo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) admitiu em entrevista à revista Veja, publicada na manhã desta sexta-feira (31/5), que já 'chorou pra caramba' durante esse período.

"Já passei noites sem dormir, já chorei pra caramba também. Angústia, né? Tá faltando o mínimo de patriotismo para algumas pessoas que decidem o futuro do Brasil", afirmou.

Bolsonaro reclamou do que ele classificou  como  'sabotagens' ao governo, fruto de 'ministérios aparelhados'.

De acordo com o presidente, ele também sofre com a  'inexperiência'  de sua base aliada, que esperam dele  resolver os problemas 'no peito e na raça'.

A entrevista  do presidente à Veja é publicada um dia depois de estudantes e professores irem às ruas pela segunda vez, em menos de 15 dias, para protestar contra os cortes de recursos  públicos para a educação. 

Na entrevista à Veja, Bolsonaro reclamou também do que que ele avalia ser influência da esquerda. Para o presidente,  essa ingerência ideológica de seus opositores verifica-se até mesmo  no Ministério da Defesa , hoje comandado pelo general Fernando Azevedo e Silva.

"No Ministério da Defesa, por exemplo, colocamos militares nos postos de comando. Antes, o ministério estava aparelhado por civis. Havia lá uma mulher em cargo de comando que era esposa do 02 do MST. Tinha ex-deputada do Continua depois da publicidadePT, gente de esquerda... Pode isso? Mas o aparelhamento mais forte mesmo é no Ministério da Educação",  disse Bolsonaro.

Na avaliação do presidente, a 'sabotagem' ao seu governo  é resultado de 'uma luta de poder' entre partidários da esquerda e da direita. 

Che Guevara X Brilhante Ustra

O presidente aproveitou a entrevista para lembrar do ex-chefe do DOI-Codi coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, apontado como torturador pela Comissão da Verdade, que investigou os anos de chumbo da Ditadura Militar no País (1964/1985).

Durante a votação em plenário do impeachment, em 2016, da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) -  presa e torturada nos porões da ditadura- o então deputado Jair Bolsonaro votou a favor do impedimento destacando em sua fala o ex-chefe do DOI-Codi.

"Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff", disse o então parlamentar, no plenário da Câmara dos Deputados.

Nessa entrevista à Veja, Bolsonaro reiterou seu apreço a Ustra ao afirmar não ser contra os estudos nas escolas e universidades sobre Che Guevara, o guerrilheiro e um dos  líderes da Revolução Cubana. Entretanto, ressalva, Ustra também deve ser mencionado nas  escolas e universidades brasileiras, em oposição a Che Guevara.

Informações Estado de Minas / Diário de Pernambuco

terça-feira, 28 de maio de 2019

Delegado Lessa propõe transparência no uso de verbas públicas em eventos

O deputado Delegado Lessa (Progressistas) pediu aos colegas de Casa na Reunião Plenária desta terça (28), apoio para aprovação do Projeto de Lei nº 261/2019. A proposição estabelece que os eventos que receberem apoio da administração pública direta e indireta terão que informar, no material de divulgação, o valor destinado pelo patrocinador público. A iniciativa abrange os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, além de Ministério Público e Tribunal de Contas de Pernambuco.
No pronunciamento, o parlamentar enfatizou que a proposta busca ampliar a transparência no uso de verbas públicas. “Esse projeto está sendo implementado em Estados como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Ele visa atender aos anseios da sociedade, que trabalha quatro meses por ano para pagar uma das mais altas cargas tributárias do mundo. Transparência é sinal de respeito pelo dinheiro público”, acredita.
Em aparte, o deputado Antonio Fernando (PSC) defendeu que a proposição seja ampliada para todas as obras feitas nos municípios com recursos do Estado. Wanderson Florêncio (PSC), por sua vez, anunciou que apresentará projeto para que, nas festas municipais, os recursos públicos sejam destinados apenas para atrações relacionadas aos ciclos festivos (Carnaval, Natal e São João, por exemplo).
“Muitas vezes, os artistas mais caros nada têm a ver com os festejos. O dinheiro público deve ser para fomentar o artista da terra, que passa o ano preparando sua apresentação e que leva no seu trabalho as nossas tradições. Pelo projeto, você poderá trazer os artistas da moda, contanto que seja com patrocínio privado”, explicou Florêncio.
Informações Blog do Mário Flávio

'Não aceita a derrota eleitoral', diz Paulo Câmara em resposta a Ciro Gomes

Foto: Anderson Freire/Esp. DP
Foto: Anderson Freire
O governador Paulo Câmara (PSB) reagiu nesta terça-feira (28) às declarações do ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT), que disse, em entrevista exclusiva ao Diario de Pernambuco, ter sido “enganado” pelo socialista nas articulações para fechar alianças na campanha de 2018. Em nota enviada à redação, o governador afirma que “em relação à tentativa de Ciro Gomes, de nos responsabilizar pelo insucesso na construção de uma aliança que reforçasse a sua candidatura presidencial, fica claro que o ex-ministro não aceita sua derrota eleitoral e procura sempre se vitimizar, procurando apontar culpados”, destaca o gestor no texto.

inda na entrevista ao Diario, Ciro lembrou que Paulo Câmara teria prometido a ele apoio na disputa pela Presidência da República, quando, de acordo com o ex-presidenciável, o PSB já teria fechado aliança com o PT em troca da neutralidade na campanha presidencial. O pedetista lembrou também que Paulo Câmara o chamou “desnecessariamente” para uma conversa, em Brasília, para dizer que ia apoiá-lo, quando, segundo o pedetista, já havia fechado acordo com o PT para “sacrificar” a candidatura de Marília Arraes (PT) na disputa pelo governo do estado.

Na nota, Paulo Câmara esclarece a proposta política do PSB na eleição presidencial de 2018, assegurando ter sido sincero com o ex-ministro e o com PDT, “pois colocamos desde o início, que nossa prioridade em 2018 era construir uma ampla frente de esquerda em Pernambuco, incluindo partidos como o PCdoB e o PT. Isso é de conhecimento público. Também sempre fizemos questão de destacar ao próprio Ciro, durante as reuniões que realizamos, que, nacionalmente, o PSB estava dividido entre três candidaturas presidenciais e a neutralidade, que terminou prevalecendo”, frisou o governador, que também é vice-presidente nacional do PSB.

No ano passado, durante o período pré-eleitoral, Paulo Câmara chegou a receber Ciro Gomes duas vezes no Palácio do Campo das Princesas, nos meses de janeiro e junho. O socialista chegou a acenar para uma possível aliança, mas acabou fechado com o PT. O governador, que tentava a reeleição, subiu no palanque do então candidato petista à Presidência da República Fernando Haddad, podendo assim, usar o legado do ex-presidente Lula para fortalecer seu projeto de continuar no comando do estado. Ciro Gomes, por sua vez, passou a criticar durante a postura dos socialistas. 

Informações do Diário de Pernambuco

Em entrevista, Ciro Gomes diz que foi 'enganado' por Paulo Câmara

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), candidato à Presidência nas eleições de 2018, afirmou ontem (27) que foi enganado pelo governador Paulo Câmara nas articulações do pleito do ano passado. Segundo o pedetista, o gestor pernambucano teria prometido a ele o apoio na disputa pelo Palácio do Planalto, quando, segundo Ciro, o PSB teria feito a aliança com o PT em troca da neutralidade na disputa presidencial.

Ciro defendeu ainda a unidade do PDT em Pernambuco para que, em 2020, sejam apresentadas candidaturas em Caruaru e no Recife, caso quadros da sigla queiram disputar as eleições municipais. Em visita ontem ao Diário de Pernambuco, Ciro criticou o governo Bolsonaro pelos cortes na educação e ainda disse que a gestão federal precisa investir em três pilares para alavancar a economia e reduzir a desigualdade do Nordeste: infraestrutura, capacitação profissional e acesso a terra.
 "Ele me chamou, desnecessariamente, em Brasília, com o testemunho do governador do Ceará, Camilo Santana, para me dizer que ia me apoiar junto com o PSB, mas, naquele dia, eu já sabia, por meio do Márcio França (então governador de São Paulo), que é meu amigo, que eles tinham se entendido em sacrificar Marília Arraes aqui em Pernambuco e Márcio Lacerda em Minas Gerais em troca do PSB ficar neutro na eleição presidencial. Não gosto de botar adjetivos. Fui enganado. Não engano ninguém. Alguém que em 38 anos de vida pública dizer 'o Ciro me enganou' está difícil de aparecer", disse o ex-presidenciável.

Informações Blog do Bruno Muniz / Foto: Leandro de Santana 

Juiz determina bloqueio de até R$ 128 milhões de Aécio Neves

Foto: José Cruz/Agência Brasil (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
O juiz da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, João Batista Gonçalves, determinou o bloqueio de até R$ 128 milhões do deputado federal Aécio Neves, no âmbito de investigações em torno de supostas propinas do Grupo J&F. De acordo com a decisão este seria o valor das vantagens indevidas que o tucano teria recebido para si e em nome de outros investigados.

A decisão também alcança a ex-deputada federal Cristiane Brasil (PTB) e o ex-deputado federal Benito Gama (PTB), no valor de até R$ 20 milhões para cada um.

"Além disso, são apresentados nos autos elementos de informação para demonstrar que práticas de lavagem de capitais estariam em curso desde as primeiras tratativas para recebimento dos valores de origem suspeita. Portanto, encontra-se demonstrado o requisito do periculum in mora necessário para a decretação da medida de sequestro dos valores com possível proveniência ilícita", anotou o magistrado.

Segundo o Ministério Público Federal, "Aécio Neves, no exercício do mandato de Senador da República e em razão do referido cargo, teria solicitado a Joesley Batista, bem como ao Grupo J&F, no período entre 2014 e 2017, vantagens indevidas em quatro oportunidades, sob a promessa de favorecimento em eventual governo presidencial do período entre 2015 a 2018".

"Além disso, a promessa sobre vantagens indevidas envolveria influência junto ao Governo do Estado de Minas Gerais para viabilizar a restituição de créditos fiscais de ICMS em favor de empresas do Grupo J&F. O investigado, à época Senador da República Aécio Neves, teria recebido para si e para outrem, a quantia de R$ 128.049.063,00", diz a Procuradoria.

Segundo os investigadores, parte dos repasses ocorreu "nas eleições de 2014 e parte na compra de prédio ligado ao Jornal Hoje Em Dia, em 2015 e 2016, além de prestações pagas por meio da pessoa jurídica Rádio Arco Iris".

O juiz federal registra que "foram obtidos pela investigação depoimentos e provas documentais que indicam a existência de associação criminosa voltada à corrupção da função pública, envolvendo valores superiores a cem milhões de reais".

Cristiane e Benito

Segundo a decisão, na condição de presidente do PTB durante a campanha de 2014, Benito da Gama "teria recebido R$ 20.000.000 00, decorrentes de supostos créditos ajustados entre o Grupo J&F e o Senador Aécio Neves". "A referida quantia teria sido paga em troca de apoio político do PTB para a campanha presidencial de 2014, expondo a autoridade policial que o investigado teria participado de reunião na sede do Grupo J&F para tratar das contribuições para o partido".

"Cristiane Brasil Francisco então deputada Cristiane Brasil seria a presidente do PTB a partir do final de 2014 e teria recebido R$ 20.000.000,00 decorrentes do suposto crédito de propina ajustada entre o Grupo J&F e o então Senador Aécio Neves", escreve.

Defesas

Em nota, o criminalista Alberto Zacharias Toron, que defende Aécio, afirmou: "A defesa considera inusitada e incompreensível a determinação de bloqueio das contas pessoais do deputado Aécio Neves e já apresentou recurso contra ela.

Primeiro porque os valores referem-se, na sua grande maioria, segundo os próprios delatores, a doações eleitorais feitas pela JBS a diversos partidos políticos em 2014. Doações, inclusive, declaradas ao TSE.

Depois, o destino final desses recursos comprovadamente foram os diferentes partidos políticos da coligação do PSDB. Nunca houve sequer uma acusação de que o deputado Aécio tenha se beneficiado pessoalmente de nenhum centavo.

Registre-se que os aventados R$ 128 milhões nunca entraram, saíram ou transitaram nas contas do deputado, que, ao longo dos anos, não chegou a ter como saldo, entre conta bancária e aplicação financeira, sequer 1% de tal valor.

Por fim, a defesa reafirma a falsidade das acusações feitas pelos delatores da JBS na busca desesperada pela validação de seu acordo de delação e aguarda a conclusão das investigações para o restabelecimento da verdade."

Informações do Diário de Pernambuco

Rodrigo Maia quer que relator antecipe parecer sobre Previdência

Rodrigo Maia
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira (28) que pedirá ao relator da reforma da Previdência na comissão especial, Samuel Moreira (PSDB-SP), que antecipasse a apresentação de seu parecer.

"Eu vou pedir a ele hoje que apresente o projeto dele antes do dia 15 [de junho]", afirmou. "Precisa encurtar um pouco esse prazo da votação para que a gente não chegue muito no limite do primeiro semestre." 

A intenção de Maia é de terminar a tramitação da Previdência na Câmara ainda no primeiro semestre, embora líderes partidários vejam com ceticismo esse calendário.

Moreira afirmou, porém, que não há mudança na previsão do calendário e que já previa apresentar seu parecer até o dia 15. "Até o dia 15 pode ser qualquer dia depois do fim do prazo de emendas", afirmou. "Não muda nada, eu sempre disse que seria isso."

Após as declarações do relator, Maia lembrou que cabe a Moreira decidir a data de apresentação do relatório.

O presidente da Câmara, no entanto, defendeu que o deputado dê tempo suficiente para que os partidos possam estudar a nova versão da reforma da Previdência.

"Quanto mais tempo os líderes e os partidos tiverem para avaliar o relatório, antes de votar, podem fazer propostas, podem ajudar, podem fazer um relatório que vai ser aquele que tem mais chances de vitória no plenário da Câmara", disse Maia.
Em linha com o discurso da proposta de pacto entre os Poderes, o presidente da Câmara, principal fiador da proposta de reestruturação da Previdência, declarou que o Legislativo também tem responsabilidade em conseguir os votos para aprovar o projeto.

"Sei que o governo está trabalhando, está se empenhando para construir a maioria, mas o Parlamento também tem essa responsabilidade e vai trabalhar para ajudar na formação do número necessário para avançar na Previdência".
No auge da crise entre o governo e a Câmara, Maia chegou a afirmar que caberia ao Palácio do Planalto conseguir os votos.


Informações da Folha de Pernambuco

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Justiça determina redução nos salários de prefeito, vice-prefeito, vereadores e secretários municipais em Jataúba

Resultado de imagem para antonio de roque
Mais uma cidade do Agreste de Pernambuco foi alcançada pela série de ações populares de autoria do advogado André Tadeu Mota Florêncio. Desta vez o juiz de Jataúba decidiu anular os efeitos das leis editadas em 2016, que determinavam os salários do prefeito Antônio de Roque, do vice-prefeito Buraco, dos secretários municiais e dos vereadores.
Com a decisão o salário do prefeito cai de R$ 18 mil para R$ 15 mil. O salário do vice-prefeito passa de R$ 9 mil para R$ 7.500,00. Os salários dos secretários municipais deixa de ser R$ 3.600,00 para R$ 3mil e os salários os vereadores caem de R$ 7.590,00 para R$ 6 mil.
Tudo isso ocorre porque a Câmara de Vereadores de Jataúba, semelhante às câmaras de outras cidades, aprovou as leis nº 634/2016 e 635/2016 em setembro daquele ano. A Lei de Responsabilidade Fiscal prevê um limite mínimo de 180 dias antes do início da nova legislatura para atos que modifiquem salários de cargos eletivos.

Verba indenizatória do presidente da Câmara é totalmente suspensa

 Resultado de imagem para paulo floriano jataúba
O presidente da Câmara de Jataúba, Paulo Floriano, teve a verga indenizatória totalmente suspensa. O valor equivalia a 100% do salário de um vereador e foi considerado ilegal na ação.
A Câmara de Vereadores de Jataúba e a prefeitura ainda podem recorrem, embora o entendimento pela manutenção de decisões desse tipo tem sido pacificado no Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Informações Blog do Ney Lima

Tragédia; Cantor Gabriel Diniz morre aos 28 anos de idade após queda de avião

O cantor Gabriel Diniz canta no programa 'SóTocaTop', na TV Globo no Rio de Janeiro, em março de 2019 — Foto: Fábio Rocha/TV Globo
O cantor Gabriel Diniz, conhecido pelo hit "Jenifer", morreu nesta segunda-feira (27), aos 28 anos, na queda de um avião de pequeno porte no povoado Porto do Mato, em Estância, na região sul de Sergipe.
De acordo com a Polícia Militar, há três mortos. Inicialmente, o Grupamento Tático Aéreo (GTA) havia informado que eram quatro ocupantes na aeronave, que decolou de Salvador.
Amigos de Gabriel Diniz reconheceram o corpo do artista entre as vítimas. A assessoria de imprensa da produtora do cantor confirmou que ele estava no avião. Também foi encontrado o passaporte de Gabriel Diniz perto do local do acidente. Na noite deste domingo (26), ele havia feito um show em Feira de Santana (BA).
Em nota, a produtora afirmou:
"A Luan Promoções, familiares, fãs, amigos e equipe estão todos muito abalados com está triste notícia que pegou todos de surpresa nessa manhã, 27. Com muito pesar confirmamos a morte do Gabriel Diniz. O cantor estava em um bimotor que caiu no sul do estado de Sergipe no começo dessa tarde. Sua alegria estará para sempre em nossos corações! Não deixaremos perder a sua irreverência jamais, você conquistou uma nação com o seu trabalho e carisma!".
O GTA sobrevoa o local do acidente, onde trabalham ainda equipes da PM e do Corpo de Bombeiros. Elas chegaram numa embarcação dos bombeiros, já que a área é de difícil acesso, de mangue e mata fechada.
A queda do avião vai ser investigada pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, com sede no Recife e que abrange o estado de Sergipe.
Segundo documentos achados no local do acidente ao lado do passaporte de Gabriel Diniz, a aeronave é um monomotor Piper prefixo PT-KLO, com capacidade para quatro lugares e registrado em nome do Aeroclube de Alagoas.
A aeronave, segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), só pode ser usada para voos de instrução.
Aeronaves da categoria "Privada – Instrução" só podem ser usadas para instrução, adestramento de voo por aeroclubes, clubes ou escolas de aviação civil, segundo o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil. Isso significa que não podem ser utilizadas para táxi aéreo, por exemplo.Uma moradora da região do acidente disse que o avião passou por cima da casa dela e caiu em seguida. Foi ouvido um estrondo nas imediações.

Gabriel Diniz tinha 28 anos e nasceu em Campo Grande (MS). Ele foi criado em João Pessoa (PB), onde morava, e teve uma banda com amigos da escola. GD, como era conhecido, era um astro do forró, mas transitava bem no sertanejo.
O estouro veio no segundo semestre do ano passado, com "Jenifer", o grande hit do último verão. A música divertida sobre uma mulher encontrada no Tinder foi a primeira de Diniz a chegar ao topos das paradas de todo o Brasil.
Os maiores sucessos anteriores dele eram "Paraquedas", com Jorge e Mateus (18 milhões de visualizações no YouTube) e "Acabou, acabou", com Wesley Safadão (62 milhões). Ele tinha empresários em comum com Safadão.

"Jenifer" foi escrita pelo grupo de compositores Big Jhows, originalmente para Gusttavo Lima. A interpretação de GD deu um tom mais leve e quase humorístico à letra.
Gabriel conseguiu comprar de Gusttavo a exclusividade de "Jenifer", pelo mesmo valor que ele tinha pago aos compositores (eles não revelam a quantia). Tudo de forma amigável.
"Desde 2015 eu vou para Goiânia atrás de compositores. Fui o primeiro cara que saiu do Nordeste nessa busca. Depois foi o pessoal todo pra Goiânia: Wesley, Xand, até Simone e Simaria. Abrimos esse espaço para músicos e compositores", explicou o cantor ao G1, no começo deste ano.
"Ninguém achou que ia ser esse sucesso. Nem o pessoal do meu escritório, nem meu empresário. O Wesley [Safadão] não acreditou, ninguém acreditou. Foi uma aposta minha, sozinho mesmo."

Informações do G1

domingo, 26 de maio de 2019

Exclusivo; Agência dos Correios de Brejo da Madre de Deus fecha as portas e usuários terão que se dirigir a cidade de Jataúba

Resultado de imagem para correios de brejo da madre de deus
Na última sexta-feira a população Brejense foi pega de surpresa com um comunicado fixado na agência dos correios local, é que a unidade de Brejo da Madre de Deus estará fechada por tempo indeterminado a partir desta segunda dia 27, segundo o comunicado divulgado pela agência os usuários precisarão se deslocar até a cidade de Jataúba para as encomendas e correspondências dos locais onde não há distribuição externa.
Vale ressaltar que o atendimento na agência de Jataúba já é precário por falta de material humano, resta saber quais as medidas tomadas pela estatal já que agora o atendimento no local ficará sobrecarregado por está atendendo os dois municípios. Já não é de hoje que os correios vêm passando por uma grande crise e vez por outra há a cogitação do fechamento de várias agências inclusive a da cidade de Jataúba.

Até o fechamento da matéria nossa equipe não conseguiu contato com a superintendência dos correios para um melhor esclarecimento a população.

Informações Portal Jataúba Online

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Exclusivo: Vereador Júnior Gomes é réu em ação por improbidade administrativa e tem parte dos bens bloqueados pela Justiça

Imagem relacionada
O vereador Júnior Gomes é alvo de uma ação do Ministério Público de Pernambuco. O parlamentar está com parte dos bens bloqueados pela Justiça. A ação teve início no final de 2018 e até então não havia sido divulgada.
As denúncias se referem à época em que Júnior Gomes era presidente da Câmara de Vereadores. O Ministério Público acusa que promoveu a contratação de servidores sem concurso público em limite muito superior ao quadro de servidores efetivos “em nítida violação aos princípios de proporcionalidade, impessoalidade, moralidade, e em burla à regra constitucional do concurso público”.
Em MPPE apontou ainda que no final de sua gestão como presidente da Câmara, Júnior Gomes apresentou “disponibilidade líquida de caixa de recursos não vinculados no montante negativo de R$ 33.280,08”. A promotoria identificou que a Câmara Municipal nos últimos dois quadrimestres daquele exercício financeiro, naquela época, realizou despesas novas no montante superior a R$ 20 mil com pagamento feito de forma prioritária em detrimento de outros compromissos anteriormente assumidos.

Bloqueio de bens

Na mesma ação de autoria do Ministério Público o juiz Vanilson Guimarães de Santana Júnior determinou o bloqueio de bens até alcançar o montante de R$ 20.313,26. O juiz apontou também que a lei municipal que regulamentou os salários dos vereadores em vigor durante o a gestão de Júnior Gomes estava acima do que era previsto pela Constituição Federal, que deveria corresponder a 40% do subsídio de um deputado estadual.
O juiz também considerou a omissão na realização de concurso público, seguindo um atestado do Tribunal de Contas de Pernambuco.
O vereador Júnior Gomes ainda pode recorrer da decisão. O Blog do Ney Lima tentou, mas não conseguiu contato com o parlamentar para que ele comentasse as denúncias.

Informações Blog do Ney Lima

No Recife Bolsonaro apela sobre Previdência e diz que fará o possível para ajudar o Nordeste

Foto: Peu Ricardo/DP
“Faremos o possível para ajudar o nosso querido Nordeste”, declarou Bolsonaro em evento com os governadores na manhã desta sexta-feira, no Instituto Ricardo Brennand, na Várzea. Na ocasião, o presidente deve lançar o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), elaborado pela primeira vez no âmbito da Sudene. 

Após visitar o Museu das Armas e assistir o concerto da Orquestra Cidadã, o presidente chegou à mesa de reunião por volta das 10h45. Compareceram os governadores Flávio Dino (PCdoB-MA), Wellington Dias (PT-PI), Camilo Santana (PT-CE), Fátima Bezerra (PT-RN), João Azevedo (PSB-PB), Paulo Câmara (PSB-PE), Renan Filho (MDB-AL), Rui Costa (PT-BA) e Romeu Zema (NOVO - MG). 

O superintendente da Sudene, Mário Gordilho, abriu a reunião defendendo um reposicionamento da agenda do Nordeste. “Os atuais modelos de desenvolvimento se mostram insuficientes. Buscamos, com isso, colocar a Sudene no seu lugar institucional de ser protagonista das ações do Nordeste em benefício do povo”, esclareceu. Sobre o plano de desenvolvimento, ele definiu como uma “instrumento de urgência imediata de 2020 a 2023”.

Com o discurso alinhado, o governador Paulo Câmara (PSB) também ressaltou a necessidade de um olhar diferenciado para a região. “Ainda convivemos com flagelos: a seca, a estrutura insuficiente e a instabilidade econômica [...] Precisamos seguir reparando erros e potencializando acertos. Tenho convicção plena da parte que cabe ao povo ele o fará. E a nossa, também faremos.”

No seu momento de fala, Bolsonaro exaltou a satisfação de voltar ao Recife como presidente e defendeu um projeto de distribuição de renda justa. “O projeto Bolsa Família não é meu, vem lá de trás. Mas nós criamos o 13º do Bolsa Família para ajudar a população. Precisamos trazer mais que benefícios, precisamos trazer justiça para a região”. Trazendo a pauta da Previdência à tona, ele fez um apelo aos governadores presentes: "Sem a reforma, não poderemos colocar talvez parte do que estamos acertando em fazer aqui", disse. 

A expectativa era que o chefe do executivo anunciasse um acréscimo de R$ 2,1 bilhões ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste para ser usado em obras de infraestrutura. Até o momento, não foi confirmado. 

Manifestações

Manifestantes pró-Bolsonaro e oposição se concentram no lado de fora do Instituto Ricardo Brennand, na Várzea. O Gati e a Polícia Militar também estão no local.

Agenda

À tarde, Bolsonaro estará em Petrolina, onde irá inaugurar um conjunto residencial, uma obra iniciada em julho de 2017, durante o governo do ex-presidente Michel Temer (MDB).

O empreendimento tem 472 unidades e custou cerca de R$ 43 milhões, nas suas duas fases de execução. O conjunto residencial Morada Nova foi financiado pela Caixa Econômica Federal, com recursos do FGTS e faz parte do Programa Minha Casa Minha Vida. Na cidade, Bolsonaro será recepcionado pelo senador Fernando Bezerra Coelho, líder do governo no Senado, e pelo prefeito do município, Miguel Coelho (sem partido).

Informações do Diário de Pernambuco

TRF-4 determina bloqueio de bens do MDB e do PSB em ação de improbidade

Senador Fernando Bezerra Coelho e o deputado pernambucano Eduardo da Fonte estão entre os investigados. Foto: Divulgação
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) determinou o bloqueio de valores e bens de acusados em ação de improbidade administrativa da Lava Jato, incluindo o Partido Socialista Brasileiro (PSB), o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), os parlamentares Valdir Raupp (MDB/RO), Fernando Bezerra (PSB/PE), Eduardo da Fonte (PP/PE), os espólios dos falecidos agentes políticos Sérgio Guerra (PSDB/PE) e Eduardo Campos (PSB/PE), a Queiroz Galvão, e a Vital Engenharia Ambiental.

O bloqueio foi determinado ao se reconhecer a procedência de recurso contra decisão proferida na ação civil pública de improbidade administrativa movida pela força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná (MPF/PR) e Petrobras.

O TRF4 ressaltou a necessidade de “garantir a efetividade do resultado final da ação – em que apurada a existência de um amplo esquema criminoso, com prejuízos expressivos para toda a sociedade”. No ponto, o tribunal pontuou a existência de fortes indícios da prática de atos de improbidade por líderes de partidos e agentes públicos em prejuízo ao erário.

Em cumprimento à decisão do Tribunal, a Justiça Federal de Curitiba determinou o bloqueio de valores correspondentes a até: a) R$ 1.894.115.049,55 do MDB, de Valdir Raupp, da Vital Engenharia Ambiental, de André Gustavo de Farias Ferreira, de Augusto Amorim Costa, de Othon Zanoide de Moraes Filho, Petrônio Braz Junior e espólio de Ildefonso Colares Filho; b) R$ 816.846.210,75 do PSB; c) R$ 258.707.112,76 de Fernando Bezerra Coelho e espólio de Eduardo Campos; d) R$ 107.781.450,00 do espólio de Sérgio Guerra; e) R$ 333.344.350,00 de Eduardo da Fonte; f) R$ 200.000,00 de Maria Cleia Santos de Oliveira e Pedro Roberto Rocha; g) R$ 162.899.489,88 de Aldo Guedes Álvaro e h) 3% do faturamento da Queiroz Galvão.

Em relação aos partidos políticos, a força-tarefa da Lava Jato e Petrobras requereram que o bloqueio não alcance as verbas repassadas por meio do fundo partidário, que são impenhoráveis por força de lei.

Na ação que tramita na Justiça Federal foram descritos dois esquemas que desviaram verbas da Petrobras, um envolvendo contratos vinculados à diretoria de Abastecimento, especialmente contratos firmados com a construtora Queiroz Galvão, individualmente ou por intermédio de consórcios, e outro referente ao pagamento de propina no âmbito da CPI da Petrobras em 2009.

Na peça inicial apresentada pela força-tarefa Lava Jato e Petrobras, as atividades ilícitas foram enquadradas como atos de improbidade, e foram pedidas a aplicação da sanção de ressarcimento ao erário e a condenação à compensação dos danos morais e coletivos, com a agora deferida indisponibilidade de bens dos réus.

Informações do Diário de Pernambuco

Prefeitura de Jataúba divulga programação do São João 2019

A Prefeitura Municipal de Jataúba divulgou nesta quinta-feira (23/05) a programação oficial do São João 2019. Tradicionalmente os festejos juninos acontecem nos distritos do Jacú, Jundiá, Riacho do Meio e Passagem do Tó, nos dias 15/06, 28/06, 06/07 e 13/07 respectivamente. 

Vale salientar que os festejos juninos na sede do município acontecerão juntamente com as secretarias de Educação e Ação Social, além do tradicional São João da Expedicionário. 


Confira a programação:

Dia 15 de Junho - Vila do Jacu
Luiz Felipe
Conde do Forró


28 de Junho - Vila Jundiá 
Adriano Silva
Carlinhos Caiçara (ex-Encantus)

Dia 06 de Julho - Vila do Riacho do Meio
Bruno Fagundes
Amigos Sertanejos

Dia 13 de Julho - Vila Passagem do Tó
Bedeu Quirino
Walkyria  Santos

Realização 

Prefeitura Municipal de Jataúba 

Prefeito: Antônio de Roque, 
Vice-Prefeito: Jackson Buraco
Limão Produções


Diogenes Ramos/ Blog do DidiRamos

Oposição avalia que não é hora para pedir impeachment de Bolsonaro

Foto: Marcos Corrêa/PR
Dirigentes dos cinco principais partidos de oposição - PT, PSB, PCdoB, PDT e PSOL - avaliaram que não é o momento de pedir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Segundo eles, que se encontraram na quarta-feira (22), não existe motivo formal para o afastamento, apesar do desgaste sofrido pelo governo em apensas cinco meses de gestão. 

"Não é hora de tomarmos nenhuma iniciativa neste sentido. O terreno é o da luta política com mobilizações e ações conjuntas no Congresso", disse o presidente do PSOL, Juliano Medeiros. Nesta quinta-feira (23), o presidente afirmou que, "quem defende fechamento do STF e do Congresso Nacional, estaria na manifestação errada".

No PT, sobretudo, a ordem é para não repetir com o atual governo o "golpe" contra a presidente afastada Dilma Rousseff. Em reunião de avaliação dos cenários políticos, na semana passada, dirigentes do PT chegaram a questionar se a possibilidade de o vice-presidente Hamilton Mourão assumir é melhor do que a permanência de Bolsonaro. De Curitiba, onde está preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ordenou que o partido intercale os ataques a Bolsonaro com propostas para a geração de empregos e recuperação da economia.

Os dirigentes que fazem parte do Fórum dos Partidos de Oposição decidiram também que vão acompanhar os desdobramentos da crise no governo e as manifestações de rua marcadas para os dias 26 (em favor de Bolsonaro) e 30 (contra os cortes do governo na educação) antes de decidirem os próximos passos. "A depender dos desdobramentos, a gente volta a se reunir", disse Juliano.

Além dele, participaram do encontro os presidentes do PT, Gleisi Hoffmann; PSB, Carlos Siqueira; PDT, Carlos Lupi e o vice-presidente do PCdoB, Walter Sorrentino. Nenhum deles chegou a colocar em pauta o pedido de impeachment de Bolsonaro, mas o assunto foi tratado em função da pressão feita pelas bases das legendas de centro-esquerda. Por meio das redes sociais, militantes têm cobrado uma postura mais incisiva dos partidos. Nas manifestações do dia 15 em defesa da educação, o grito "fora Bolsonaro" foi ouvido em diversas cidades.

Além da avaliação unânime de que não existe motivo para um pedido de impeachment do presidente, houve um entendimento comum dos caciques quanto à gravidade do momento político e a necessidade de ampliar a rede de oposição para entidades da sociedade civil. Uma série de encontros dos dirigentes será agendada com representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), entre outros.

Manifestações 'racham' direita

As manifestações do dia 26, convocadas por simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais, estão provocando um racha na grande frente de direita que apoia o presidente - o grupo reúne militares, liberais, evangélicos, "lavajatistas", antipetistas desgarrados e cidadãos comuns fartos da corrupção e da falta de segurança no País.

Informações do Diário de Pernambuco